Os roteadores são os aparelhos que criam as redes Wi-Fi particulares e transmitem o sinal do seu serviço de banda larga para outros dispositivos, como celulares, computadores, videogames, televisões, etc. Por isso é importante escolher um bom aparelho, já que ele pode melhorar consideravelmente a qualidade da sua conexão wireless. Mas, com tantas opções no mercado, essa tarefa é um pouco mais difícil do que parece, né? Então vamos lá que eu vou te ajudar a escolher a melhor opção para a sua casa!

Verifique o padrão do roteador e dos seus dispositivos

A primeira questão que você precisa checar é se o padrão de transmissão de dados do Wi-Fi do roteador é compatível com a dos aparelhos da sua casa. Os roteadores podem ter os padrões A e B (mais antigos, que suportam velocidades menores) ou G, N e AC (mais atuais e que suportam mais velocidade).

Num geral, os aparelhos de celular mais caros e novos têm placas Wi-Fi compatíveis com todos esses padrões, mas é sempre bom checar no manual do fabricante para garantir que você esteja aproveitando o melhor da sua conexão. Por exemplo, se o seu roteador tem um padrão AC e seu notebook tem um padrão B, ele não vai conseguir captar toda a velocidade oferecida pelo seu provedor. Por isso é bom verificar os padrões dos aparelhos que você mais usa (celular, notebook, televisão, videogame…) para ter certeza que eles são compatíveis com o seu roteador.

Existem roteadores com duas ou três antenas. Qual modelo é o ideal?

Normalmente, quanto mais antenas, mais opções de transmissão do sinal Wi-Fi e maior a velocidade alcançada. Mas quanto maior a velocidade, menor fica a distância alcançada – e vice-versa. Funciona assim: as antenas maiores conseguem cobrir distâncias maiores, e se elas estiverem em maior quantidade, vão conseguir entregar mais velocidade. Então o modelo ideal vai variar conforme a sua necessidade – a sua casa é grande o suficiente para você precisar cobrir mais distância ou é pequena e precisa de mais velocidade?

Mas não se preocupe tanto com essa questão! O mais importante é a tecnologia do aparelho (até porque muitos roteadores têm a antena interna e são até mais potentes do que aqueles com as externas). Nós vamos falar sobre isso daqui a pouco!

De qualquer forma, é importante lembrar que existem alguns fatores que influenciam na recepção do seu sinal. Por mais que ele seja transmitido por ondas de rádio, elas não são tão super poderosas a ponto de atravessar sem danos paredes, portas, móveis e espelhos, e também não conseguem brigar se houver interferência de outros aparelhos eletrônicos (que podem não parecer, mas também enviam ondas de rádio pela sua casa! Microondas, telefone sem fio, geladeira e até o controle da garagem podem interferir). Por isso sempre procure um espaço livre para o roteador, com menos obstáculos possível e preferencialmente em um lugar alto – assim o sinal é mais bem distribuído!

Leve em consideração o tamanho da sua casa

Se a sua casa é muito grande, existe uma boa probabilidade que o roteador não consiga se conectar com todos os cômodos, mesmo tendo um bom alcance. Isso porque, como já falamos, obstáculos como paredes e móveis diminuem a força do sinal. Geralmente os aparelhos têm um limite de mais de 100 metros. Caso você precise cobrir distâncias maiores, o ideal é considerar um conjunto de roteadores que trabalhem interconectados a uma rede mesh.

A rede mesh é uma “rede em malha”, composta por vários pontos de acesso que permitem que os dispositivos se conectem de forma descentralizada, sem a necessidade de um aparelho principal. Ou seja, quando você sai da cobertura de um dos pontos de acesso, o sistema reconhece automaticamente o seu movimento e te conecta automaticamente com o aparelho que tiver o sinal mais forte no local. Tudo isso em questão de segundos – você nem vai conseguir perceber a atividade dos roteadores!

Verifique a frequência do seu roteador

Essa é a parte mais importante: verificar a frequência do sinal do seu aparelho, que pode ser 2.4 GHz ou 5 GHz. Resumidamente, o 2.4 consegue atingir maiores distâncias (dependendo da antena), mas, em condições ideais, atinge uma velocidade máxima média de 80mb. Os modelos com essa frequência são mais ultrapassados em questão de velocidade, mas muito válidos para quem precisa cobrir distâncias maiores.

Já o de 5 GHz é o contrário: consegue atingir distâncias menores, mas chega a uma velocidade máxima média de 500mb. Ele também consegue transferir mais dados ao mesmo tempo, então é o ideal para quem têm mais dispositivos em casa e precisa de rapidez na conexão.

Conheça a tecnologia do roteador

Resumidamente, os roteadores têm dois tipos principais de tecnologia, que se chamam SISO e MIMO. Parece complexo, mas na verdade é fácil: o SISO (Single Input, Single Output) tem apenas uma entrada e uma saída para dados. Assim, todas as informações que saírem e voltarem para o roteador vão passar pelo mesmo “caminho”, chegando e saindo de um único lugar.

Já o MIMO (Multiple Input, Multiple Output) tem 4 entradas: duas de entrada e duas de saída. Ou seja, os dados têm mais “caminhos” para passar do roteador para o dispositivo, o que faz com que eles sejam distribuídos de forma muito mais rápida.

Pronto! Com essas informações em mãos, você já consegue fazer uma boa escolha e minimizar os problemas com a sua conexão!
E se você já for cliente da NGT, nem precisa se preocupar: aqui nós já fornecemos o roteador wi-fi e te ajudamos com todas as configurações 😉